MonkeyBusiness
Peça o seu orçamento aqui!

Motion Graphics: uma efusão de estilo e personalidade

Motion Graphics: estilo de comunicação cada vez mais utilizado, mas ainda difícil de definir:

O barulho estridente do interfone da psicanalista faz com que ela acorde de sobressalto após a siesta em seu consultório. Enquanto o espasmo desastrado, causado pelo susto, faz com que seus óculos caiam no chão.

Ela logo se levanta e, mal-humorada, atende sua secretária. Ela anuncia a chegada de um paciente a quem nunca havia atendido antes. A doutora autoriza a entrada e se põe a tatear o chão à sua volta em busca dos óculos.

O novo paciente entra, mas os quatro graus e meio de astigmatismo da psicanalista não permitem que ela identifique as feições da pessoa à sua frente. O paciente, então, alcança o par de óculos e os entrega nas mãos da doutora, que cai para trás ao finalmente conseguir discernir quem – ou o quê – está à sua frente. Trata-se nada mais, nada menos, do que uma peça de Motion Graphics agraciada pela dádiva (ou talvez… maldição?) da autoconsciência.

Mesmo boquiaberta, a psicanalista logo se recompõe. Senta-se em sua poltrona e, ainda em silêncio, faz sinal para que a estranha figura se deite no divã.

A corporização improvável daquele aglomerado de informações visuais – que reúne formas geométricas, tipografias, vetores, texturas artesanais e recortes alusivos a filmes da cultura pop. Se aproxima tímida e melancolicamente do divã, dá um longo suspiro e põe-se a chorar.

A doutora permanece em silêncio. Depois de esgotar suas lágrimas e soluços, a peça de Motion Graphics finalmente respira fundo e toma coragem para começar a dissecar suas angústias. Diz que se encontra em meio a uma insuportável crise existencial. Pois além de não saber de onde veio e qual é seu significado perante o universo, não consegue nem ao menos categorizar a si mesma.

“Sou uma animação? Sou uma peça de artes plásticas? Pertenço ao cinema ou à publicidade?”, indaga.

Enquanto faz anotações em seu caderno, a psicanalista acena suavemente a cabeça em tom de compadecimento.

Finalmente, põe-se a falar. Ela escolhe as palavras com sabedoria, e parece saber exatamente os rumos pelos quais deve guiar a desorientada peça de Motion Graphics.

“Me conte um pouco sobre seus pais”, ela diz.

A peça, por sua vez, diz que não chegou a conhecer a mãe. Mas fala com ternura sobre seu pai, o cineasta e designer gráfico Saul Bass – e de como ele, já na década de 50, inovou ao criar conceitos visuais icônicos para sequências de abertura de filmes como “O Homem do Braço de Ouro”, de Otto Preminger, e “Intriga Internacional”, de Alfred Hitchcock.

A peça de Motion Graphics conta, com entusiasmo, sobre como Saul manipulava as películas cinematográficas aplicando ilustrações e elementos tipográficos a elas. Assim como qualquer sequência de fotogramas – que sempre geram a sensação de movimento ao serem introduzidas em um projetor. As aplicações do designer também ganhavam vida, conferindo a elas um status de “arte híbrida” que transita entre a animação, o trabalho artesanal e a cinematografia.

Multiplicidade

A psicanalista termina de fazer uma anotação em seu caderno e conclui seu raciocínio com a palavra “multiplicidade”.

De maneira pontual, ela lança uma provocação ao paciente: comenta sobre o curioso fato de que, enquanto ele enaltece os trabalhos iniciais do pai como algo inovador e à frente de seu tempo. Exatamente pelo fato de criar uma técnica que depende da junção de várias outras. Angustia-se ao pensar em si mesmo como uma obra deslocada, indefinida.

Essas poucas palavras fazem com que a peça de Motion Graphics reflita. Durante longos minutos, o único som a preencher a sala é o ruído dos ponteiros de um velho relógio.

Dessa forma, com esse simples auxílio da doutora, a peça começa, aos poucos, a adquirir uma nova perspectiva. Seu discurso vai ficando mais leve, o que indica o início da autoaceitação.

Ela finalmente percebe que o Motion Graphics está longe de ser uma técnica sem personalidade. Muito pelo contrário! O Motion Graphics é uma técnica tão múltipla, tão passível de experimentação e tão cheia de possibilidades, que isso faz dela uma das principais tendências audiovisuais da atualidade.

O Motion Graphics e os Keyframes

Diferente da animação clássica – que depende da ilusão de movimento produzida pela repetição de imagens em sequência – o Motion Graphics adquire seu movimento através de marcações que produzem mudanças de parâmetros de acordo com o tempo entre elas. São os famosos keyframes.

Assim, esse diferencial facilitador de movimentos acaba dando vazão a infinitas variações de estilo e ritmo. Dessa forma, Não é à toa que o Motion Graphics é conhecido por inúmeros apelidos, tais como Motion Design, Design de Animação, Videografismo ou Design em Movimento. Também não é à toa que a técnica se encaixa tanto na publicidade quanto no cinema, e exerce forte influência no design contemporâneo, redefinindo tipologias de linguagem e produzindo impactos visuais que deslumbram a todos os públicos, a todo momento, em inúmeras plataformas.

Enfim, ao fim da sessão com a psicanalista, a peça de Motion Graphics parece revigorada. Sai de sua condição vulnerável e abraça a autoconfiança, percebendo que o mundo ao seu redor fica muito mais bonito com sua presença. Que todo o seu repertório, todas as suas cores e movimentos, não só fazem parte de uma sociedade em constante evolução, como também são essenciais para que propostas visuais cada vez mais inovadoras impactem positivamente o dia a dia das pessoas. E que ser uma peça de Motion Graphics, no fim das contas, significa ser muitas coisas diferentes. E que é exatamente essa a maior graça de sua existência.

Somos o MonkeyBusiness: Estúdio de Motion Design! Produtora de Vídeo, Estúdio de Animação e Agência de Apresentações Criativas. Apaixonados pelo poder de comunicação do Motion Design e especialistas em Motion Graphics.

Conte com o MonkeyBusiness. Somos um estúdio de Motion Design completo. Uma Produtora de Vídeo de São Paulo. Um Estúdio de Animação. Uma Agência de Apresentações criativas.

Temos times de atendimento, planejamento, roteiro, direção de arte e motion design especialistas. Todos eles dedicados a criar vídeos, animações e apresentações. Com o objetivo de transformar conteúdo corporativo em audiovisual. Estamos prontos para trabalhar no seu próximo projeto em Motion Design. Seja ele em vídeo, animação ou apresentação. Clique aqui e vamos falar sobre sua próxima animação, vídeo ou apresentação!

MonkeyBusiness: seu estúdio de animação. Produtora de vídeo. E agência de apresentações criativas

Estúdio de animação. Produtora de vídeo. Agência de apresentações criativas com Motion Design. Acreditamos na estratégia, roteiro e motion design para uma comunicação mais eficiente, inteligente e, logicamente, animada. www.monkeybusiness.com.br. Veja mais nos nossos canais do Vimeo e Youtube.



® 2009 MonkeyBusiness LTDA

Estúdio de motion design de São Paulo SP
Produtora Audiovisual / Estúdio de animação / Agência de apresentações profissionais especializados em produção de vídeos, criação de animações e de apresentações criativas

Termos de uso / Privacidade
Fechar
Fechar
Ao enviar o formulário, eu declaro que estou de acordo com a Política de Privacidade. Ou entre em contato diretamente pelo e-mail do nosso time de atendimento comercial especialistas em motion design corporativo aqui: contato@monkeybusiness-com-br.umbler.net.
Ao enviar o formulário, eu declaro que estou de acordo com a Política de Privacidade.
WhatsApp

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.